Como Cuidar dos pés do bebê e da Mamãe!

Como Cuidar dos pés do bebê

Como cuidar dos pés do bebê e da mamãe: Os pés de uma criança crescem rapidamente durante o primeiro ano, atingindo quase metade do tamanho de seus pés adultos. É por isso que os podólogos consideram o primeiro ano o mais importante no desenvolvimento dos pés. O cuidado adequado em uma idade jovem é essencial para o desenvolvimento saudável. Como muitas doenças dos pés de adultos se desenvolvem na infância, visitas periódicas ao podólogo do seu filho e cuidados básicos com os pés podem ajudar a minimizar esses problemas mais tarde na vida.

Os pés de uma criança são formados a partir de cartilagem macia e maleável, o que os torna mais suscetíveis a deformidades. Uma criança pequena pode ser afetada por condições nos pés, como:

  • Intoeing
  • Out-toeing
  • Pé chato
  • Verrugas
  • Dor no calcanhar

Dicas para os pais

Os pais podem ajudar a promover o desenvolvimento normal e saudável do pé do bebê.

  • Examine os pés do seu bebê regularmente. Se você detectar algo incomum, entre em contato com o pediatra ou o podólogo de seu filho imediatamente.
  • Incentive o exercício.   Deitar-se descoberto permite que o bebê chute e mova os pés e os pés livremente, para não inibir o desenvolvimento normal.
  • Cubra os pés livremente. Roupas ou coberturas apertadas restringem o movimento.
  • Alterne a posição do seu bebê várias vezes ao dia. Ficar muito tempo em um local pode causar tensão desnecessária nos pés e pernas.

Crescendo

À medida que o bebê continua a crescer e a se desenvolver, os pés também crescerão. Pode ser necessário alterar o tamanho do sapato e da meia a cada poucos meses, pois o calçado apertado pode agravar condições pré-existentes. Depois que seu filho der os primeiros passos, observe também cuidadosamente os padrões de caminhada. Anormalidades na entrada, saída e saída da marcha podem ser corrigidas quando detectadas precocemente.

Os pés de um bebê os levarão por toda a vida, por isso é importante começar um bom cuidado com os pés desde tenra idade. Negligenciar a saúde dos pés do seu filho convida a problemas em outras partes do corpo, como costas e pernas. Se você tiver dúvidas sobre a saúde dos pés de seu filho ou suspeitar de um problema com o desenvolvimento dos pés, entre em contato com nosso escritório. Queremos que cada passo que seu filho dê para a vida adulta seja fácil e sem dor!

Aqui estão cinco maneiras de garantir a segurança de seus pés:cuidando dos pés dos bebês e das mamães

Como Cuidar dos pés do bebê e da mamãe

Como cuidar dos pés dos bebês e das mamães :Use sapatos confortáveis:

 se você tiver um dia agitado alinhado, é melhor calçar um par de sapatos confortáveis ​​que forneçam apoio de calcanhar e arco aos pés. Evite usar saltos por longos períodos, pois isso certamente resultará em dores nos pés.

Use inserções ortopédicas : as inserções ortopédicas personalizadas são os melhores presentes que você pode dar aos seus pés. Com suporte extra, estabilidade e equilíbrio, você pode navegar rapidamente por todos os lugares lotados.

Como Cuidar dos pés dos bebês e das mamães:Observe onde você está pisando :

a temporada de inverno torna os caminhos escorregadios. Portanto, é crucial estar atento a locais úmidos ou que ameacem escorregar. O descuido pode custar-lhe um tornozelo torcido , um tendão danificado ou pior – uma fratura!

Como cuirar dos pés dos bebês e das mamães:Mantenha os pés limpos e secos :

Como cuidar dos pés dos bebês e das mamães:

sapatos fechados, meias grossas e locais aquecidos certamente farão com que seus pés suem, expondo-os ao risco de infecções por fungos e bactérias. Lave os pés diariamente e mantenha-os secos. Troque os sapatos e guarde pares extras de meias para poder trocar com frequência. O pó para os pés também é bastante útil.

Não sobrecarregue os pés :Como Cuidar dos pés dos bebês e das mamães:

Com a abundância de doces açucarados e festas de festas, é muito provável que você ganhe quilos extras. Observe seu peso, cuidar dos pés do bebê e da mamãe pois ele pode danificar seus tendões e resultar em dores excruciantes nos pés.

Como organizar a rotina de sono do bebê!

Como organizar a rotina de sono do bebê - Revista Crescer | VOCÊ É ...

Segundo especialista, a partir dos 6 meses já é possível criar hábitos para o sono!

Ideal é que a criança durma antes das 21h! 

O sono é um dos principais desafios para quem tem um bebê em casa. Entretanto, com um pouco de disciplina e paciência é possível criar uma rotina para a hora de dormir e ter noites mais tranquilas para toda a família. “Os pais costumam achar que a criança deve entrar no ritmo deles, e não é assim. É preciso ter paciência para que tudo dê certo”, ressalta o pediatra Gustavo Moreira, especialista em medicina do sono, do Instituto do Sono (SP).

A partir dos 6 meses já é possível criar uma rotina que favoreça bons hábitos de sono para a criança. O segredo para o sucesso está na constância. Ou seja, a rotina deve ser repetida todos os dias, de maneira igual.

De acordo com o médico, tudo deve começar ao anoitecer. Neste momento, é fundamental diminuir os estímulos e criar um ambiente agradável, propício ao sono, evitando barulho e claridade. Se um dos pais costuma chegar neste horário em casa, é ideal fazer atividades mais tranquilas com a criança para que ela não desperte. Uma sequência que costuma funcionar é tomar banho, vestir o pijama, e colocar a criança no berço para que ela adormeça sozinha, mas com os pais por perto. Uma música mais calma ou uma historinha costumam ajudar.

A preparação deve começar assim que escurece e o ideal é que a criança durma antes das 21h, pois este é o período que biologicamente sentimos mais sono. Depois disso, a criança volta a ficar alerta e fica mais difícil para ela adormecer”, explica Moreira.

Soneca

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, dormir durante o dia não atrapalha o sono noturno dos bebês e crianças pequenas. Pelo contrário,  até os 4 anos, as famosas sonecas são fundamentais para uma boa noite de sono, já que,  diferente dos adultos, por não saberem lidar com a situação, as crianças tendem a resistir a dormir quando estão muito cansadas, ficando irritadas e chorosas.

Durante o dia, é importante que o bebê tire suas sonecas com a menor alteração possível no ambiente, o que significa que a claridade deve ser mantida, bem como o ritmo da casa. A providência ajuda eles a entender que o sono do dia é diferente do da noite, o que facilita a adoção de bons hábitos para dormir.

Além disso, diz Moreira, para as crianças maiores de 6 meses,  o ideal é que a última soneca aconteça por volta das 16 horas, evitando assim, interferências no sono da noite.

As consequências da falta de sono

No geral, nos primeiros 2 meses, os bebês costumam dormir de 16 a 20 horas por dia. Esse número tende a diminuir com o passar do tempo, chegando a 13 horas quando a criança completa 1 ano de idade. As 8 horas recomendadas para um adulto, contudo, só serão atingidas por volta dos 18 anos.

No primeiro ano de vida é comum a criança acordar várias vezes durante a noite para se alimentar ou buscar o aconchego dos pais. O sono constante só deve ocorrer por volta dos 3 anos.  Apesar disso, ao desconfiar que a criança não está dormindo o suficiente, perceber que ela está roncando, ou fazendo apneia (parada respiratória, devido à obstrução das vias aéreas) o médico deve ser consultado, visto que a falta de sono pode trazer consequências desagradáveis.

“A criança que dorme pouco ou não dorme bem pode apresentar problemas de comportamento, como irritação, agressividade, hiperatividade e desatenção. Em casos mais graves, pode haver até alterações no crescimento”, finaliza Moreira.